Sunday, 20 June 2010

Adelaide! Minha anã paraguaia!!!!



3 anos.

1.095 dias.

26.280 horas.

1.576.800 minutos.

Há exatamente essa quantidade de tempo atrás, no dia 20 de Junho de 2007,  pisei o solo australiano pela primeira vez na minha vida.

Com a garganta apertada, as pernas trêmulas e o cansaço acumulado de 30 horas de viagem, cheguei, com marido e um filho de 8 anos, em Adelaide; que só conhecia via internet. Não tinha a menor idéia do que iria, realmente, encontrar pela frente.

Estava frio e chovia, como todo inverno adelaideano. Pegamos as 15 malas (vermelhas, por sinal) nas quais empacotamos a nossa vida e nos dirigimos pro apartamento em North Adelaide onde iríamos ficar pelos próximos 15 dias.

 A primeira impressão da cidade foi ruim. Ou será que era só meu nervosismo? Adelaide parecia uma cidade fantasma! Não havia ninguém nas ruas. O dia estava cinza e triste. Eu estava confusa, cansada e incrédula. A gente está mesmo aqui? Parecia um sonho...

Adelaide rapidamente se transformou em uma agradável supresa. A cidade era - e continua -  linda, organizada e segura. Cheia de parques, praias e vinículas.

Três anos se passaram. Muita coisa nova aprendida. Muita mudança de hábitos. Adaptações, nem sempre fáceis. Muita supresa com a minha própria determinacão, com a superação das dificuldades. Muitos momentos de saudades também. Momentos de tristezas e dúvidas. Mas principalmente, muitos - e bons - novos amigos (todos brasileiros, é claro!)

Hoje, 3 anos depois, olho pra trás com aquela sensação de realização que faz a gente ter a certeza de que as rédeas da vida estão sob o nosso comando. Plagiando o Gil, canto alto e com orgulho “meu caminho pelo mundo, eu mesma faço. Quem sabe de mim sou eu! Aquele abraço!”

 Adelaide! As vezes dirigindo (do lado errado!!!) por suas ruas tranquilas e sem trânsito, me pego a pensar sobre a coragem que tive em largar tudo e vir parar aqui, do outro lado desse nosso mundo tão grande e ao mesmo tempo tão pequeno. E não é que, por mais que ainda me sinta estrangeira neste país, muitas vezes me sinto, paradoxalmente, totalmente em casa.

11 comments:

Anazita said...

Adorei o texto, mas me emocionei e chorei, de alegria por saber que estão muito bem e por ter muitas saudades de vocês!...

Cristiane Magina said...

Amei Claudia!!!
Sei exatamente o que suas palavras significam...Senti o mesmo que vc quando aterrisei em solo Australiano e eu nunca me senti tao em casa como em Adelaide, nem aqui em Perth e a mesma coisa.

Saudades!!! Beijos em todos!!!

Kelly said...

Nota 10!!!!! Parabens pelas conquistas e obrigada por ter tomado a decisao de vir... Sem vcs aqui a vida nao seria tao legal. Beijao

Fatima Reis said...

Claudinha, parabéns pelo texto e pelas conquistas! Fico feliz em saber que tudo deu certo. Vcs merecem. Bj

BETO, DÉBORA, ANA E MARCELA said...

Oi Cláudia! Brilhantemente você conseguiu colocar em palavras o sentimento da maioria de nós aqui em Adelaide. Com pequenas diferenças acho que todos nós passamos por esse parto de nascer para uma nova vida, a qual foi escolha nossa. Parabéns!

Renata Hjelmstrom said...

Escrevi um comentario enooorme e nao sei pq apagou tudo...

Vamos la:

- Tb odiei a cidade logo que cheguei, tb cheguei no inverno e tava mto frio!! Mas hj eu amo essa cidadezinha fofa e nao saio daqui por nada!

- Qndo to voltando pra casa do trabalho eu fico pensando que parece que eu to num intercambio ou coisa do tipo... ai chego em casa e vejo minhas coisinhas e penso "Caracoles! aqui e a minha CASA" :)

Eu amo Adelaide e os amigos que fiz aqui, amigos sao a familia que a gente escolhe, ne Tia Claudinha!!!

Beijao

Obs. agora lendo teu blog diretamente do trabalho!! hehe

João Reis said...

Nem preciso dizer que estou adorando participar um pouquinho dessas realizações. E mais do que nunca posso dizer: realmente é preciso muita coragem! Parabéns por tudo, prima! Pelos três anos, pela força, pela coragem e também pelo blog, claro!
Beijão!

Claudia Lordao said...

:o)

Anonymous said...

Quando vocês foram embora fiquei arrasada! Nunca te contei isso. Fui observando a preparação de vocês para a partida meio a distância, não queria encarar a realidade. Como ia ser sem meus melhores amigos aqui? Então não ia poder vê-los e abraça-los quando quisesse? Que horror! E aí chegou o dia e vocês foram. E eu chorei e fiquei deprimida. O João também ficou triste. A gente sentia um vazio esquisto e incômodo. Uma mistura de sentimentos: alegria e orgulho pela conquista de vocês, preocupação e ansiedade pela vida nova que teriam que construir... Hoje fico muito orgulhosa e feliz por vocês. Vejo que a distância pode ser diminuída quando falamos por email e por telefone. Ainda dói o coração de vez em quando mas a certeza de que vocês estão bem e felizes alivia e conforta. Só não posso ficar muito tempo sem saber de vocês. São como irmãos que precisamos confererir se estão bem de verdade, todos os dias. Um beijão, Marcia e João

Juliana Bernardi said...

Parabens pelos 3 anos de muitas conquistas, superações e alegrias !!! 'E bom poder fazer parte de tudo isso e ser sua amigona aqui em Adelaide. Lindo texto !!!! Bjs

Anonymous said...

Gostei demais do texto porque expressa muito das contradicoes que tenho sentido em Los Angeles atraves de todos esses anos--e que continuo sentindo. Eh o paradoxo que vai te acompanhar pelo resto da tua vida. Qundo vou ao Brasil me sinto em casa, mas em minha casa em LA estou em casa. Anna Lucia.

Post a Comment