Wednesday, 19 May 2010

Dá pra falar baixo, que eu quero dormir?



Sempre fui meio anarquista. Alguns amigos me acham marrenta. Já fui muito mais brigona nessa vida. A idade me suavizou.

Mas não pense que estou mansinha. Longe disso. Aprendi a brigar pelo que vale à pena. E brigo mesmo! Se acredito em uma causa, vou até o fim. Sou a porta voz da galera. A que se expõe, se queima e ganha inimigos.  Mas ganho admiradores também (toda moeda tem dois lados), pois muitas vezes faço e falo o que muitos gostariam de fazer e falar, mas não conseguem pois não têm um parafuso solto como eu.

Já me surpreendi com a minha própria loucura.

Uma vez, voltando do trabalho tarde da noite, peguei o frescão (pra quem nao sabe é um ônibus metido a besta, com poltronas mais confortáveis) pra poder ir dormindo durante o caminho até minha casa, que era longo.

Pegar o frescão era sempre uma boa pedida! Todos viajavam sentados. A viagem era sempre tranquila.

Mas aquela noite foi diferente. Esperei pouco no ponto. O ônibus chegou rapidinho. Entrei feliz, sentei logo na frente, me acomodei toda e fechei os olhos pra dormir...

Aí começo a ouvir dois carinhas conversando, alto, rindo, uma festa! Eles estavam bem no meio do ônibus, não tinha nem como eu mudar de lugar, continuaria ouvindo aquela zueira.

Tentei abstrair. Pensar em outra coisa! Mas eles estavam berrando! E tudo que eu queria depois de um dia tenso de trabalho era um pouco de silêncio, era tirar minha sonequinha em paz.

Quando olho pra traz descubro a razão pela qual os dois falavam tão alto. Eles não estavam sentados um do lado do outro! Estava cada um de um lado do ônibus, cada um ocupando 2 poltronas, recostados nas janelas. Era por isso que berravam pra poder conversar.

Ah, o  meu sangue ferveu.  É muita falta de respeito com quem trabalhou o dia inteiro e quer somente voltar pra casa sossegado e ainda por cima pagou mais caro pra isso!

Levantei! Fui até onde estavam os rapazes, pedi licença, e fui logo falando: - Sabe o que que é? É que eu tô tentando dormir e a conversa alta de vocês tá me atrapalhando. Porque vocês não sentam juntos, pois dessa forma podem falar mais baixo?

Eles me olharam, arregalados, sem crer no que estavam vendo. Aí um saiu do transe e respondeu: é que a gente quer ficar sentado assim, é mais confortável.

No que rebati, na lata: entendo, mas ou vocês ficam confortavelmente sentados sem conversar ou conversam baixinho sentados um do lado do outro. Se for pra eu participar da conversa de vocês, venho sentar aqui entre os 2 pra participar ativamente. Pode ser?

Voltei rapidinho pra minha poltrona, tremendo, pensando que poderia ter levado um “chega pra lá” daqueles... Nem olhei pra trás. Só sei que a conversa alta parou.

Eu sei! Eu sei que exagerei! Mas que  voltei pra casa dormindo, isso eu voltei!

5 comments:

Andréa Riecken said...

Hahahaha nao acredito q vc fez isso!
Mas tem gente que merece uma dessas neh...

Claudia Lordao said...

Pode acreditar, Déia!!!! Perdi a linha total!

Daniela Vergara said...

Sua Cara,seu jeito de ser. E é isso que te torna tão especial:)

Ana said...

Amei a coragem. Eu sou das que ficaria puta da vida sem dormir por não ter coragem de fazer o que fez.

Anazita said...

Lembro bem,você chegando do trabalho, e contando mais uma de suas façanhas.

Post a Comment